Os turistas foram embora. E agora?

O sector do turismo vive dias negros.

Com a pandemia e a maioria do espaço aéreo fechado ou as enormes restrições que temos de cumprir, onde é necessário fazer testes de covid-19 para sair do país, como é de esperar houve uma desistência, na maioria dos casos, obrigatória, por parte dos turistas a nível mundial.

Como se resolve isto?

Não conseguimos ver luz ao final do túnel. Temos países com número de infetados dignos de um verdadeiro holocausto. Parece, se me permitem a comparação, que estamos perante uma III Guerra Mundial dos tempos modernos, onde a destruição não é de edifícios ou infraestruturas, mas sim da nossa essência enquanto humanos.

Somos privados da nossa liberdade de movimento. Queremos ir ao jardim e não podemos porque foi criado um decreto que o proíbe. Quero visitar os meus Avós à Terra e não posso porque nos foi imposta a ideia de que se for, estou a agir como terrorista.

Nestes dias, viajei em trabalho ao nosso lindo Algarve e deparei-me com um cenário de total isolamento: ruas vazias e comercio local fechado. Tive inclusive, de levar comida, porque o Zé do Peixe estava fechado. E que saudades tenho daquele robalo fresquinho com uma salada de tomate a acompanhar com um vinho Branco à pressão. O que eu quero é ver o Algarve das multidões, das ruas cheias com os nossos «camones»-nome simpático a que chamamos aos turistas.

Gostaria de ter uma solução mágica, mas não tenho. Assim que nos for autorizado, vamos todos viajar, ainda que usarmos os nossos cartões de crédito, vender as coisas que já colocamos na arrecadação há tempo.

Trabalhem para viajar e viagem para viver.

A vida é muito difícil e curta para não viajar uma vez por ANO !!!!

Mais
artigos